Flacidez

A idade aumenta com o tempo e, é claro, ninguém escapa disso. O tempo de vida aliado com a gravidade do nosso planeta e vários outros fatores internos do nosso corpo leva ao surgimento da flacidez de pele: nosso rosto, bumbum, peitos, braços e enfim, várias partes do corpo, acabam perdendo sua resistência e deixam de ser tão firmes como antes. Essa é a famosa e temida flacidez, um problema de muitas mulheres e homens e que surge com o passar do tempo. Nesse artigo, aprenda um pouco mais sobre como surge esse problema e o que podemos fazer para preveni-lo e tratá-lo atualmente!

Como disse logo acima, a flacidez acontece por um conjunto de fatores que predispõem ao problema. Dois deles não podemos mudar: o tempo de vida e a gravidade da Terra.

Já fatores internos, do nosso próprio corpo e que são causas de flacidez, podem ser modificados. Com o passar dos anos, na vida adulta, nossa pele não se renova tão rapidamente como antes. Essa pele que se renova menos acaba ficando menos firme. Se você leu nosso artigo sobre celulites, sabe que a pele não é composta só pela camada que vemos, a mais superficial (ou epiderme), mas também pela derme, um tecido de sustentação, que também deixa de se renovar adequadamente com o tempo.

Flacidez

Outras causas de flacidez incluem a predisposição genética (como qualquer coisa em nosso corpo) e a perda brusca e grande de peso, como acontece após um emagrecimento pesado ou a uma cirurgia bariátrica.

Tratamento da Flacidez

A flacidez, como outros problemas de pele já comentados aqui, é também difícil de ser tratada. Podemos dividir o seu tratamento em alternativas cirúrgicas e procedimentos, e tratamentos que podemos fazer em casa.

Dieta e exercícios físicos

Essa deve ser a primeira modificação nos seus hábitos de vida para tratar e prevenir a flacidez. Uma dieta saudável e adequada aliada a exercícios físicos melhorará o visual não apenas da sua pele e do seu corpo como um todo, como também previne doenças muito mais graves como a Diabetes e a Hipertensão, além de outras várias doenças cardiovasculares e metabólicas.

Na sua dieta, dê preferência à uma alimentação à base de proteínas de boa qualidade e diversificadas. Exercícios que tonificam os músculos (especialmente a musculação) aumentam a proporção de massa magra (muscular) do seu corpo em comparação com a gordura. Com mais músculos, a aparência flácida da sua pele diminuirá bastante e gradualmente.

Tratamentos em casa

É claro que o tratamento em casa, à base de cremes, não é tão eficaz como procedimentos um pouco mais invasivos, mas pode acompanhá-los e também tratar casos mais leves de flacidez.

O tratamento da flacidez em casa inclui cremes que farão a nossa pele se renovar mais rapidamente do que o de costume, diminuindo uma das principais causas de flacidez que comentamos logo acima. Três componentes são importantes aqui: o Retinol (ou Vitamina A), a Vitamina C e os ácidos beta-hidróxi e alfa-hidróxi (BHAs e AHAs). Estes últimos são vendidos com nomes de componentes como ácido glicólico, ácido cítrico, ácido salicílico e ácido málico.

Esses 3 compostos juntos irão reforçar o tecido de sustentação da pele (a camada da derme), aumentando a produção de fibras elásticas (como a Elastina) e do Colágeno. Esses compostos também são úteis na diminuição dos poros da pele e previnem a formação de acne.

Procedimentos

A principal forma invasiva de se tratar a flacidez facial, uma das mais comuns e incomodativas, é o Rejuvenescimento Facial, um procedimento feito por cirurgiões plásticos. A flacidez abdominal também pode ser melhorada com uma Abdominoplastia, que diminui a gordura subcutânea e dá um visual melhor para a pele. Esses procedimentos mais invasivos são importantes em casos maiores de flacidez, especialmente após grandes emagrecimentos.

Procedimentos não invasivos são um grande avanço de tecnologia na área dermatoestética e a cada ano surgem novas e melhores tecnologias para o tratamento da flacidez. Esses tratamentos não invasivos incluem o uso de radiofrequência, tratamentos com luz infravermelha e ultrassom, combinados ou separados.

A ação dessas tecnologias é semelhante a o que os cremes fazem, porém com uma potência muito maior e resultados muito mais visíveis. Eles estimulam a produção de colágeno e fibras elásticas na derme. A radiofrequência age com emissão de ondas de calor, retrai e reforça as bandas fibrosas da pele e subcutâneo, diminuindo não só a flacidez, como tratando também a celulite e outros problemas de pele.

Essas tecnologias não-invasivas ainda não são ideais, como os próprios especialistas comentam, mas o avanço da tecnologia nesse aspecto trará mais e mais novidades para o tratamento de flacidez nos próximos anos.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *