Seroma

Quem se submete a uma cirurgia sabe que a fase de recuperação tem lá seus inconvenientes. Faz parte! Você sabe o que é seroma e como ele se forma?

seroma é uma das complicações que podem acontecer, mas, em geral, são complicações leves. Costuma surgir alguns dias após a cirurgia e pode costuma ser absorvido pelo organismo ou expelido  em poucas semanas. O que acontece é que quando há um descolamento do tecido, depois da cirurgia, principalmente de grandes áreas como abdômen e mama há acúmulo de líquido sob o tecido. Esse líquido é amarelo claro, não tem cheiro e é formado de substâncias do nosso corpo – plasma e linfa. Em excesso, pode vazar pela cicatriz. É para tentar evitar esse problema  que se usa a cinta compressiva – que  força esse líquido a ser eliminado de outra forma. E um dos motivos também pelos quais os médicos também pedem para fazer drenagem linfática.

Quando o seroma se forma, um do primeiros sintomas é o inchaço do local, sensação de flutuação da pele e finalmente abaulamento da cicatriz. Se o acúmulo de líquido for grande e persistente o médico pode optar por retirar  através de punção.A permanência do seroma a longo prazo pode resultar em  infecções o que atrasa o processo de cicatrização e pode comprometer a estética da cicatriz.  Em casos raros, o organismo chega a produzir  uma cápsula fibrosa ao redor do seroma. Ele fica mais duro e visível. Nesse caso é possível ser retirado cirurgicamente. A melhor forma de tentar prevenir casos extremos é fazer corretamente o acompanhamento pós-cirúrgico com o médico. Isso pode impedir que o problema avance.

Veja abaixo algumas fotos do que é o seroma:

Dr Esmail Safaddine
Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *